Eden Lake: sobreviva aos clichês e terá um bom filme (ou nem tanto)

Na primeira oportunidade, volte.” é o conselho que o GPS dá para o casal Steve (Michael Fassbender) e Jenny (Kelly Reilly) logo após ambos adentrarem o parque de Eden Lake. E esse deveria ser um conselho seguido pelos espectadores.

Um longa repleto de clichês irritantes no primeiro ato se mostra um filme, no mínimo, competente no seu final, mas a transição é dura… ah se é!

Em Eden Lake – longa de 2008 que ganhou o título Sem Saída no Brasil – acompanhamos um casal que resolve aproveitar um fim de semana num lugar um pouco diferente, a beira de um lago que ninguém parece ter interesse, a não ser jovens delinquentes que infernizam a vida de um único garoto mais novo. Mas os jovens podem ser piores do que parecem…

A última frase do parágrafo anterior lhe pareceu piegas? Pois é exatamente um reflexo de toda a primeira metade do filme, onde nada parece interessante e soa como um clichê ruim de um thriller.

O casal protagonista do filme começa a sofrer com pequenos problemas causados pelos jovens rebeldes – um cachorro latindo, depois um pneu furado, um carro roubado, até virar uma perseguição.

A falta de tom da primeira metade do filme incomoda e muito. Você não sabe o que o filme é, já que até mesmo usam jumpscares – ridículos, diga-se de passagem – e cenas de “observação entre a mata” para tentar dar um tom ao longa. E isso segue até o começo da metade final. É ali que o filme se transforma em um thriller/slasher interessante e que te deixa apreensivo.

Tudo que poderia dar errado para Jenny e Steve, acontece. Você tem tempo para se apegar aos personagens, então você consegue se importar com as situações em que ambos caem.

Há um certo exagero nas situações – um pé que é perfurado de uma forma absurda por um ferro é apenas um exemplo -, mas tem um propósito: te causar desconforto. Ao meu ver, um desconforto mal trabalhado – filmes como Funny Games trazem um desconforto absurdamente maior de forma mais simples.

No final, Eden Lake me pareceu um bom filme apenas para passar na Tela Quente. Um filme ruim que tenta passar uma mensagem sobre os jovens serem um reflexo de sua criação e são facilmente influenciados pelos amigos… espera um pouco! Até a mensagem é clichê né? Somos todos como Jenny, tentando sobreviver à um filme medíocre.

Sem Saída (Eden Lake) estreou em 2008 e tem roteiro e direção de James Watkins.

Leia mais sobre #Medo31:

Leia mais sobre #HEALLOWEEN:

Roteiro3.5
Atuação7.5
Trilha Sonora2
Um filme pra ver na Tela Quente, enquanto seu pai dorme assistindo TV com o controle na mão, te impossibilitando de mudar de canal. Você fica puto no começo, mas a perseguição da segunda metade te faz pensar que nem é assim tão ruim.
4.3

Share this post

Gabriel Gnann

Gabriel Gnann

Criador do Entretenimento Ácido e essa não foi nem a minha pior ideia! Se eu não estiver reclamando de alguma coisa, pode ter certeza que há algo muito errado comigo.